Búlgaro


A língua búlgara é descendente direta dos antigos dialetos eslavos falados na Península Balcânica desde a chegada dos eslavos por volta da metade do primeiro milênio d.C. Os primeiros registos então gravados em manuscritos em eslavo antigo, cujo sistema de escrita era o glagolítico.
O nome búlgaro procede dos nomes das tribos Bulgar que habitaram os Bálcãs orientais no século VII d.C. Precisamente esta palavra, búlgaro, é uma das poucas palavras que se conservam do búlgaro original.

Horário 2º Semestre 2016/17

  • A1.1 | turma A | ter e qui | 18h-20h | Prof. Reneta Dimova
  • A1.2 | turma A | seg e qua | 18h-20h | Prof. Reneta Dimova

Destinatários

  • Estudantes das licenciaturas de Relações Internacionais, Estudos Europeus, Línguas e Literaturas Modernas, Tradutores e Interpretes,Ciências Literárias e Linguísticas, História e Ciências Humanas e Sociais, interessados na língua e cultura búlgaras.
  • Estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa de todas as licenciaturas, interessados na língua e cultura búlgaras.
  • Público geral, interessado na língua búlgara e nas culturas da Europa de Sudeste.

Objectivos

  • Adquirir conhecimentos linguísticos e culturais que permitam competências comunicativas básicas, orais e escritas, em situações quotidianas.

Conteúdos

  • Alfabeto cirílico. Criação e divulgação. Comparação com o alfabeto latino e grego.
    Gramática e vocabulário básicos: Nível I da Língua búlgara para estrangeiros.
    Identificação de pessoas e objectos.
    Localização no espaço e no tempo.
    Projectos de vida: estudos e trabalho.
    Localização geográfica e geopolítica da Bulgária.
    Elementos da história moderna da Bulgária e da região balcânica.
    Elementos de cultura: tradições, lazer, comida.
    NB: Os três últimos temas podem ser leccionados em português.
    Metodologia: baseada no método interactivo, comunicativo e comparativo.

Suportes

  • Manual: Língua búlgara para estrangeiros, Nível I, do Departamento de Língua Búlgara para estrangeiros, Universidade de Sofia, Bulgária.
    CD-ROM
    Vários materiais audiovisuais.
    Textos originais e adaptados.
    Dicionários: Português-Búlgaro e Búlgaro-Português, Edições Karina M, Sofia, 1996

Certificação

  • Os estudantes interessados podem apresentar-se ao exame de Búlgaro para estrangeiros, Nível I, para obter o respectivo certificado.

Apresentar a Língua Búlgara, a língua dos búlgaros da Bulgária, em alguns minutos, é uma prova difícil. Tentarei, portanto, falar pouco para dizer muito. Começarei por explicar o título e não irei mais longe do que o título.

Toda uma língua é um encontro com o outro, com o estranho que nos chama e nos inquieta. Para preservar o próprio, nós tentamos assimilar o outro e reduzir a diferença, domesticar a estranheza. É assim que nascem os estereótipos, as ideias feitas, o lugar-comum. Entrar numa língua estrangeira é uma tentativa e uma tentação de desafiar as ideias feitas, é uma aventura cultural que tem momentos de alegria e de tristeza.

Para o europeu comum, entrar na língua búlgara, isto é na história e cultura búlgaras, é um desafio porque, por um lado, vai pôr em causa muitas ideias feitas, vai perder a comodidade de um certo equilíbrio, mas, por outro lado, vai ganhar o prazer de pequenas descobertas. Apesar das relações diplomáticas muito antigas entre a Bulgária e os outros países europeus, a Bulgária é ainda o país menos conhecido da Europa. De facto, o mistério da Bulgária não é unicamente o das vozes búlgaras. (Exemplo: pela primeira vez a bandeira de Portugal foi arvorada em Sófia, no dia 28 de Setembro de 1898, dia do aniversário de Dom Carlos I).

Quais são algumas das ideias feitas sobre Bulgária, que ainda existem e que os europeus deveriam superar para conseguir um relacionamento natural, equilibrado?

Geograficamente, a Bulgária não é um país periférico da União Europeia. Se fosse assim, o que dizer da Lituânia, ou da Grécia? O conceito de periferia é sobretudo político e económico. Mas no nosso mundo globalizado e informatizado, os conceitos de centro e periferia estão a mudar de sentido. A Bulgária está situada na zona leste da Península Balcânica. O nome da península vem do nome da cadeia dos Balcãs que atravessa o território búlgaro. O nome Balkan tem muita importância na nossa história.

cyril-methodyEm relação ao território, a Bulgária não é um país pequeno. Se fosse assim, o que se poderia pensar do Mónaco ou de Liechtenstein? (superfície:111,000km²)

O povo búlgaro não é apenas um povo eslavo, é o resultado de uma mestiçagem entre os eslavos do sudeste que povoaram a Península Balcânica a partir do século VI e os antigos búlgaros que, segundo alguns historiadores, estavam já nessas terras, ou que terão chegado no início do século VII. Os antigos búlgaros vieram das terras da Ásia central. Encontramos pela primeira vez o etnónimo “bulgar” numa crónica romana anónima do ano 354. Fontes arménias mais antigas indicam que os antigos búlgaros povoaram as terras no norte de Cáucaso.

O estado Búlgaro não é um estado recentemente formado. É um dos estados mais antigos da Europa, que tinha fronteira com o Império Bizantino, (a parte oriental do antigo império romano) para o bem e para o mal. Foi no ano 681 que o Imperador bizantino Constantino IV reconheceu a impossibilidade de vencer e expulsar, das terras ao sul do Danúbio, os antigos búlgaros e os eslavos que tinham formado uma união forte, dirigida pelo Khan Asparuh. O tratado de paz, que o Imperador bizantino ofereceu ao Khan Asparuh nesse mesmo ano, marca o início do estado búlgaro nas terras da Europa do sudeste. A capital foi a cidade de Pliska. O novo estado ocupava principalmente o território da antiga província romana, Misia, hoje Bulgária do Norte.

O novo estado adoptou o nome de Bulgária, apesar do número de habitantes eslavos ser mais elevado (habitantes búlgaros: 300 000). De facto, politica e culturalmente, o elemento búlgaro foi determinante. A aristocracia búlgara e as estruturas militares tiveram um papel decisivo na organização do novo estado. Foi por isso que designaram a língua falada por búlgaro.

Um dos factos mais interessantes, ligados à língua búlgara, é a criação do alfabeto cirílico. O búlgaro é uma das raras línguas que fixou a história da criação da sua escrita. Dois irmãos de origem eslava, o filósofo Constantino-Ciril, e o seu irmão mais velho, Metodio, criaram o alfabeto cirílico em 855.

De facto, o primeiro sistema alfabético que os dois estudiosos criaram, foi designado como glagolítico. O nome vem do vocábulo glagol que significa palavra. A forma verbal glagolati significa falar. Foi por isso que o alfabeto teria recebido uma designação poética: os signos que falam. A ciência (os filólogos eslavistas) ainda não tem uma teoria bem fundada sobre a origem e a estrutura do glagolítico. Eis mais um desafio cultural para a nossa Europa! Este alfabeto tem cerca de 40 letras. 24 delas têm origem nas letras gregas antigas, 3 vêm da língua hebraica. Pensa-se que as restantes têm origem na escrita georgiana religiosa e, em algumas escritas orientais. Ultimamente, começa a ganhar importância a teoria do Prof. Vassil Ionchev, que lança a hipótese de que o alfabeto glagolítico teria a sua origem nas runas, signos que constituem inscrições, descobertas nas antigas capitais búlgaras Preslav e Pliska (Madara, Ravna etc.). Todos estes signos têm a mesma figura-módulo e seguem o mesmo princípio de composição. Por enquanto, podemos aceitar a ideia do filólogo R. Vaillant, que sustenta que o alfabeto glagolítico é uma descoberta original dos dois irmãos Ciril e Metodio.

 

imgbO glagolítico serviu para traduzir os primeiros livros sagrados do grego para eslavónico, designado como antigo búlgaro. Estes livros serviram para evangelizar os povos do Principado da Morávia durante o século 9. Em 886, os discipulos de Ciril e Metódio foram recebidos com honra pelo rei búlgaro Boris I, que lhes proporcionou as condições necessárias para traduzir os livros sagrados e afirmar o cristianismo que o reino Búlgaro teria adoptado em 864. Portanto, considera-se que o búlgaro é uma língua escrita antes do final do século 9.Foi a partir do glagolítico que os discípulos dos dois irmãos estruturaram o alfabeto cirílico que nós conhecemos. Tem 30 signos gráficos que correspondem aos sons fonéticos da língua falada. É nesta correspondência entre grafismo e som que consiste o valor do cirílico. Para comparar: o latim tem 29 fonemas e 20 letras, o francês tem 34/32 fonemas e apenas 26 letras. (Veja a tabela com o grafismo, o nome da letra, o fonema correspondente, o equivalente grego, o equivalente cirílico. Comparar com a outra tabela – o alfabeto búlgaro moderno.)

A partir da Bulgária, décadas mais tarde, o alfabeto cirílico será espalhado por todo o mundo eslavo: Sérvia, Valachkia, Moldávia, Rússia. Constantino-Ciril morreu em 869 e foi sepultado em Roma, na igreja “San Clemente”, com a autorização do então Papa Adriân II. Metodio morreu em 885.

A língua búlgara é a primeira língua eslava que tem escrita. Faz parte do grupo das línguas eslavas, mas integrou algumas características do antigo búlgaro, um “pormenor” muitas vezes esquecido.

Algumas características mais importantes do búlgaro moderno:

  1. 1. O antigo búlgaro teve 11 vogais, o búlgaro moderno tem 6. Mas o número de consoantes aumentou. O búlgaro é a única língua eslava que tem o som ?, ????.
  2. 2. ? búlgaro perdeu a declinação dos substantivos e desenvolveu um sistema de preposições complicado, ao contrário das outras línguas eslavas. A ordem das palavras na frase determina o sentido.
  3. 3. O búlgaro tem artigo definido em pós-posição que as outras línguas eslavas não têm. Temos também, nalguns casos, artigo indefinido (edin, edna …).
  4. 4. Preservou a riqueza do sistema verbal do antigo búlgaro: 9 tempos verbais, 4 modos, 5 particípios. Tem o modo “não-presencial” para exprimir um acontecimento que o locutor não presenciou.
  5. 5. Três géneros como as outras línguas eslavas: masculino, feminino e neutro.
  6. 6. O aspecto (lexical) do verbo: na língua búlgara e nas outras línguas eslavas, para cada acção existem dois verbos: um com aspecto acabado e outro com aspecto inacabado. Por exemplo: ???? e ????????.
  7. 7. Uma grande capacidade de criação lexical a partir de um radical e vários sufixos. Por exemplo: ??????, ????????, ?????????, ????????, ?????????. (dizer, expressar, conversar, demonstrar, contar).

bulgaria-monasteries

Estudar o búlgaro seria viver a diferença.

Zlatka Timenova

Expolíngua, 10 de Março de 2007

The Glagolitic alphabet or Glagolitsa is the oldest known Slavic alphabet. It was created by brothers St Cyril (827-869 AD) and St Methodius (826-885 AD) in 855 or around 862–863 in order to translate the Bible and other texts into the Slavic languages.

The alphabet has two variants: round and square. The round variant is dominated by circles and smooth curves, and the square variant features a lot of right angles, and sometimes trapezoids. See an image of both variants (incomplete). Or for more details The square variant lends itself to a more abundant use of ligatures than in the Latin or the Cyrillic script.

The following table lists each letter in order, giving a picture (round variant), its name, its approximate sound in IPA, the presumed origin (if applicable), and the corresponding modern Cyrillic letter. The names Jer to Jus are sometimes written Yer to Yus. There are several letters that have no modern counterpart, such as the nasal vowels Jus.

Ver quadro em: http://en.wikipedia.org/wiki/Glagolitic_alphabet

Sabia que:

– A língua búlgara e a língua eslava mais antiga;

-na Europa unida o búlgaro faz parte de família lingual dela e Bulgária e um pais de União europeia;

bulgaro

Na Bulgária difundiu um dos mais antigos alfabetos do nosso continente-o glagolítico,mais tarde chamado  cirílico,criado por irmãos Cirilo i Metodi (9o século DC), que escrevem e até agora quase todos povos eslavos;

bulgaro2

Bulgária e a terra ,onde nasceu e viveu o mítico cantor Orfeu;

bulgaro3

-Bulgária e o pais de John Atanasov -o inventor do computador;

-de estrelas de futebol Stoichkov, Balakov,Ivajlo Jordanov,Kostadinov e Stoicho Mladenov;

-Bulgária e o pais em que se produz o famoso no todo mundo,iogurte natural na  base de bactéria ,,Bacillus bulgaricus”

-aqui ,na Vale das rosas, cresce e a famosa rosa búlgara,de qual produzem um d?s famosos perfumes do mundo ;

bulgaro4

O famoso tesouro de ouro de Panagyuriste,que atravessou o todo mundo,foi achado na Bulgária;

bulgaro5

Estes e mais outros factos interessantes, vocês vão conhecer,se  frequentar o curso de língua búlgara na ILNOVA.

Profa Reneta Dimova

Zlata

Profª Drª Zlatka Timenova

Professora auxiliar na Universidade Lusófona de Lisboa. Lecciona língua e cultura francesas, teoria da literatura e teoria da tradução. Doutorada em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade de Coimbra. Tem equivalência ao Grau de Mestre em Literaturas comparadas Portuguesa e Francesa pela Universidade Nova de Lisboa, concedida em 1997. Publicou vários artigos na Bulgária, na França, na Grécia e em Portugal,  sobre a literatura francesa e a analise do texto literário, e também sobre o ensino das línguas estrangeiras e sobre a literatura e cultura búlgaras. Publicou traduções nas áreas da literatura, cultura e didáctica. Tradução do livro L’enseignement répondant de Louis Not. Escreve e publica poesia e traduções de poesia na revista electrónica “Literaturen sviat”. Membro fundador da Iberian-Slavonic Association, membro da International Comparative Literature Association.

Página pessoal

profbulgaro

Profa Reneta Dimova

Nascida na Bulgária.Graduada pela Universidade de Sofia “Kliment Ohridski”. Licenciada em Filologia Búlgara e literatura.Professora de língua búlgara no ensino básico e secundário à mais de 20 anos.Professora de língua e literatura búlgara na Escola búlgara em Lisboa,Portugal.Curso de psicologia e pedagogia de crianças em Portugal.

QUADROS COMPARATIVOS DOS DIFERENTES EXAMES E NÍVEIS DO CEFR

  • O Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas (CEFR) comum de onde todos os sistemas de níveis de língua partem está aqui: http://www.coe.int/t/dg4/linguistic/Cadre1_en.asp.
  • Cada língua tem um sistema de níveis adequado à sua aprendizagem por um falante nativo de Português. No caso do Búlgaro, o quadro de níveis é o seguinte (aplicável a partir de 2016-17):

 

  • Búlgaro A1.1
  • Búlgaro A1.2
  • Búlgaro A2.1
  • Búlgaro A2.2
  • Búlgaro B1.1
  • Búlgaro B1.2
  • Búlgaro B2.1
  • Búlgaro B2.2
  • Búlgaro C1.1
  • Búlgaro C1.2
  • Búlgaro C2.1